sexta-feira, 31 de julho de 2009

Análise do Conto: "Os três Porquinhos"

O conto “Os três porquinhos”, relata a agitada vida de três irmãos porcos que depois de serem abandonados pela mãe misteriosamente, deparam-se com um novo mundo, que eles devem desvendar com suas próprias mãos.
Nesta tentativa de vida nova, cada irmão decide construir sua própria casa. O primeiro a constrói de palha, e tem sua casa rapidamente destruída pelo lobo. O segundo porquinho a constrói de madeira, e, por conseguinte, também tem sua casa destruída pelo lobo. O terceiro porquinho, o menos preguiçoso, demora muito mais tempo construindo sua casa de material. Porém, na falta de cada irmão ter sua casa, ele abriga todos ali com ele em sua casa de alvenaria.
Assim desenvolve-se a história de aventura dos três porquinhos. Agora que moram na mesma casa, fazem de tudo para destruir o grande lobo, até que finalmente conseguem.
Este conto é construído basicamente pautado em uma das evidências trazidas por Magnanelli em seu texto Era uma vez... E ainda é... Contos de fada – possível resolução para os conflitos infantis, que é o simples fato do conto não está relacionado com a realidade da criança, ou seja, todos os elementos apresentados pelo conto, fazem com que a criança fiquem cada vez mais distante de sua real realidade.
Ao ler um conto clássico, a criança mergulha em mundo de imaginação que se apresenta muito diferente de sua realidade. Com isto, a criança não desenvolve as defesas necessárias para crescer e se desenvolver em sua realidade real, mas sim, é tomada por idealizações e sonhos que a dominam, prendendo a imaginação destas crianças em um mundo que infelizmente não existe.
Por este motivo, a leitura de contos clássicos deve ser realizada e utilizada como uma de várias estratégias de leitura, para que o aluno tenha uma visão literária global. Porém, ao fazer uso destes contos, o professor deve fazer com que os alunos se apropiem da capacidade de ler através das linhas apresentadas no texto. Para que ele perceba desta forma, que nem tudo é o que parece ser.

Autora: Maria Carolina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário